Código de Conduta

O Código de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da ROCKTRADE tem por objetivo assinalar princípios e normas que orientem o exercício de suas respectivas atividades profissionais, ajudando também em suas relações com a categoria, USUÁRIOS e os Poderes Públicos que regulam o mercado de capitais no Brasil.

Todos os analistas que integram o time de análise da ROCKTRADE são devidamente certificados de acordo com a instrução normativa CVM598 e assinam esse código de conduta como adesão incondicional aos seus termos e demais normas emitidas pela CVM que tratem da atividade de analista de valores mobiliários.

Capítulo I – Princípios e valores éticos

Art. 1º – O Analista de valores mobiliários da ROCKTRADE pautará a sua conduta profissional pelos seguintes princípios e valores:

  • Honestidade ao opinar;
  • Liberdade e independência para de expressar suas ideias inclusive em relação à pessoa ou instituição a que estiver vinculado;
  • Trabalho dedicado;
  • Compromisso com o seu desenvolvimento profissional e intelectual;
  • Privilegiar sempre o interesse público sobre o particular;
  • Preservar e dignificar sua conduta;
  • Velar pela sua reputação pessoal e profissional;
  • Defender preceitos legais e morais, negando sua colaboração ou participação em qualquer serviço ou projeto que julgue ferir tais preceitos;
  • Agir com probidade, boa fé e ética profissional.
  • Praticar os mais elevados padrões de honestidade e Integridade;
  • Equidade no trato com todos os USUÁRIOS;
  • Cuidado, diligência e prudência compatíveis com as expectativas do investidor;
  • Contrapor-se à produção e divulgação de notícias ou informações tendenciosas ou inverídicas;

Capítulo II – Deveres fundamentais

Art. 2º – Dos deveres em relação ao time de análise

  • Prestar-lhes assistência em assuntos profissionais;
  • Evitar referências prejudiciais ou pejorativas a seu conceito;
  • Respeitar suas iniciativas, trabalhos e soluções, jamais expondo-os ou usando-os como de sua própria idealização.

Art. 3º – É vedado ao analista de valores mobiliários da ROCKTRADE aceitar benefícios que de alguma forma possam ter por objetivo influenciar suas análises, em particular:

  • Receber quaisquer presentes exceto aqueles de pequeno valor;
  • Receber, no exercício de sua atividade de Analista, quaisquer tipos de benefício ou compensação estranhos ao estabelecido em seu contrato profissional;
  • Receber privilégios que de alguma forma possam ter por objetivo influenciar suas análises;
  • Emitir relatórios de análise com a finalidade de obter, para si ou para outrem, vantagem indevida;

Art. 4º – Deveres fundamentais gerais

  • Assumir o compromisso de busca por informações idôneas e fidedignas para serem utilizadas em suas análises;
  • Informar o quanto antes seus superiores/empregadores de qualquer impedimento profissional para suas funções no que tange diplomas, certificação, problemas com a justiça, etc;
  • Colaborar com as entidades de fiscalização e de representação profissional dos Analistas de Valores Mobiliários;
  • Conhecimento e cumprimento das leis e normas, principalmente a instrução CVM Nº 598, de 3 de maio de 2018;
  • Utilizar linguagem serena e moderada;
  • Nunca fazer promessa de rentabilidade futura ou assegurar ou sugerir a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de risco para o investidor;
  • As análises nunca devem refletir pressões ou benefícios;
  • Orientar o cliente, sempre documentando, de forma que facilite a tomada de uma decisão consciente;
  • Aceitar as punições cabíveis quando houver infrações ao código de conduta profissional;

Capítulo III – Conflitos de interesse

Art. 5º – Ao aceitar o código de conduta dos analistas de valores mobiliários da ROCKTRADE, o profissional se responsabiliza por informar aos seus gestores, tão logo ocorra, quaisquer questões que envolvam potenciais conflitos de interesses tais como:

  1. Que quaisquer dos analistas de valores mobiliários envolvidos na elaboração do relatório tenham vínculo com pessoa natural que trabalhe para o emissor objeto do relatório de análise;
  2. Que quaisquer dos analistas de valores mobiliários envolvidos na elaboração, seus cônjuges ou companheiros, sejam diretas ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, titulares de valores mobiliários objeto do relatório de análise;
  3. Que quaisquer dos analistas de valores mobiliários envolvidos na elaboração, seus cônjuges ou companheiros, estejam diretas ou indiretamente envolvidos na aquisição, alienação ou intermediação dos valores mobiliários objeto do relatório de análise;
  4. Que quaisquer dos analistas de valores mobiliários envolvidos na elaboração, seus cônjuges ou companheiros, tenham direta ou indiretamente, qualquer interesse financeiro em relação ao emissor objeto do relatório de análise;
  5. Que a remuneração de quaisquer dos analistas de valores mobiliários seja, direta ou indiretamente, influenciada pelas receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela pessoa a que esteja vinculado.

Art. 6º – Uma vez identificada uma situação de possível conflito de interesse, a mesma deverá ser exposta no site da ROCKTRADE de forma de esteja acessível a todos os USUÁRIOS que consomem os relatórios de análise produzidos.